A maneira comprovadamente mais eficaz de se alcançar sucesso em projetos de reestruturação institucional
Como nascem os Paradigmas
“Como nascem os Paradigmas” é um vídeo direcionado à Capacitação e a Gestão de Pessoas.

Contudo, independente do filme por si só, entendi que seria importante falar algo mais sobre o ‘paradigma’, pois o entendimento dele é que trará uma outra perspectiva dos conceitos das atitudes, comportamentos e formas de agimos no dia a dia.

O termo paradigma é originário do grego e significa modelo, exemplo, padrão.

O que isso quer dizer?

Talvez a maneira mais forte de definir o conceito de paradigma seja dizer que ele representa os conteúdos de uma visão de mundo. Isso significa que as pessoas que agem de acordo com o consenso sobre uma maneira de entender, de perceber, de agir, a respeito do mundo.

Os que partilham de um determinado paradigma aceitam a descrição de mundo que lhes é oferecida sem criticar os fundamentos íntimos de tal descrição. Isto significa que o olhar deles está estruturado de maneira a perceber só uma determinada constelação de fatos e relações entre esses fatos. Qualquer coisa que não seja coerente com tal descrição passa despercebida e é vista como elemento marginal ou sem importância.

Quer um exemplo? Até alguns anos atrás energia elétrica não era problema para o Brasil nem para os brasileiros. A única coisa que um cidadão comum sabia sobre o assunto era ligar o interruptor. Bastava pagar e pronto. Este era o paradigma que orientava nossa visão de mundo com relação ao consumo de energia e ninguém imaginava que pudesse ser diferente. De repente, tudo mudou. Surgiu o risco de um apagão. Descobrimos que estávamos enganados, e que a energia é finita. Se não soubermos trabalhar adequadamente com a natureza, ficaremos sem energia. Isso significou uma mudança em alguns de nossos paradigmas, e, de uma hora para a outra, todo mundo queria lâmpadas econômicas, todos foram atrás de aquecedores solares e começaram a contar os minutos do banho no chuveiro. O que aconteceu? O mundo mudou? Não, mas o paradigma que o descrevia sim. Da descrição de um mundo com energia infinita, passamos a uma outra descrição. Mudaram nossos paradigmas.

Na atualidade, o termo paradigma tem sido usado com freqüência nas mais diversas áreas do conhecimento – educação, economia, política, religião, estética, ética, entre outras. Quebrar paradigmas não é mais um desafio, mas uma necessidade de atitude e do modo como cada pessoa percebe o mundo em razão das suas crenças, dos seus valores, da sua experiência de vida, entre outros aspectos.

Enfim, bem-vindos ao ‘universo’ dos paradigmas, bom proveito e bom filme.

Como nascem os Paradigmas Aqui?...

Aqui sempre foi assim.

Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula, em cujo centro colocaram uma escada e no topo desta um cacho de bananas. Quando um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os cientistas lançavam um jato de água gelada nos que estavam no chão. Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o enchiam de pancadas, batiam sem cessar.

Após algum tempo, nenhum macaco tentava subir mais a escada, apesar de ser tentadora a visão da sua fruta predileta que vislumbra com abundância tão próxima de seus olhos.

Então, os cientistas substituíram um dos cinco macacos. A primeira coisa que o pobre macaco fez foi subir a escada para colher as belíssimas bananas, sendo retirado de lá imediatamente pelos outros sob forte chuva de pancadas, apanhou sem dó nem piedade. Depois de algumas surras, o novo integrante assimilou a idéia do grupo e não tentou mais subir a escada, apesar de continuar “adorando” as bananas.

Em seqüência, o segundo macaco foi substituído, depois o terceiro macaco foi trocado, e repetiu-se o fato. E assim fizeram com o quarto, e finalmente com o quinto e último dos veteranos, substituindo-se todo o grupo.

Os cientistas ficaram, então, com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho, pensassem em subir a escada na busca das bananas.

Até que um dia se perguntou: “Por que vocês não sobem a escada e pegam as bananas ?“

Aqui? Nem pensar !!! E responderam : “Não sabemos, mas aqui sempre foi assim; se tentar subir, apanha.”

Quem não muda ou quebra os paradigmas raramente consegue sair do lugar de onde ou como o iniciou.

3WRH – Desenvolvimento em Recursos Humanos

Atitudes Comportamentais
Quem Mexeu no Meu Queijo?


Quem Mexeu no Meu Queijo? (Who Moved My Cheese?, no original em inglês) é um livro motivacional escrito pelo Dr. Spencer Johnson que apresenta uma parábola envolvendo quatro personagens: dois ratinhos, Sniff e Scurry, e dois "homenzinhos", Hem e Haw.

O problema não é meu


Este vídeo tem a intenção de despertar de forma lúdica, situações com que nos deparamos no nosso dia a dia e por força do hábito, do vício, do estado de motivação individual, entre outros sentimentos, interagimos passiva ou ativamente com situações decorrentes.




© Copyright 2011, 3WRH - Recursos Humanos

Desenvolvido por QDigital